Fomos atrás do pessoal que faz design de palcos para nomes como Armin van Buuren e EDC

Já parou pra pensar nas mentes que criam os palcos épicos do EDC e afins, e que ainda fazem tudo correr direitinho, ou seja, em perfeita sincronia com a música? A 250K é a gigante — holandesa, pra variar — que tem parcerias criativas com empresas como Alda Events, ID&T, Armin van Buuren e EDC Las Vegas. “Somos designers, nos especializamos em combinar conceitos, design de palcos e ideias para shows, criando experiências únicas e incríveis” é como a 250K se vê.

Após presenciar aquele absurdo de palco estrondoso do Amsterdam Music Festival durante o ADE esse ano, fuçei algumas fotos do RUDGR — um dos maiores fotógrafos de eventos EDM do mundo — e encontrei o perfil da 250K. Eles são responsáveis pelo stage design de dezenas de festivais como o próprio AMF, Spring Awakenings, Electric Zoo Japan, além de artistas como Afrojack e W&W. Descobri também que foram eles responsáveis pela criação daquelas luzes interativas que o Armin van Buuren usa em seus shows. BAPHO!

Fomos atrás deles e conversamos com o Dennis de Klein, produtor criativo e tour manager da 250K. Põe uma música bem farofa e bora ler esse papo! :D

img1 Markarian Stage (STORM Festival 2016)

STEREO MINDS - Qual é o principal objetivo da companhia ao criar um set design?

DENNIS - Nosso objetivo é planejar conceitos criativos e distintos de experiência, que sejam multidisciplinares e que tenham um grande impacto! Pretendemos fazer uma tradução baseada nas necessidades e preferências dos clientes, a identidade de marca estabelecida (evento ou artista) em um set design, show e experiência convenientes.

STEREO MINDS - Qual é o primeiro passo ao se montar um stage? E as partes mais fáceis e difíceis?

DENNIS - O nosso processo é bem aberto e variável a cada projeto. Na maioria dos casos, começamos com uma conversa elaborada e enxurrada de ideias junto ao cliente para criar uma conversa criativa para o projeto, que descreve a identidade do evento ou artista e define certas necessidades que devemos levar em conta. Essa é a parte fácil; geralmente a mais difícil pode ser os primeiros passos criativos. Encontrar inspiração e traduzir isso numa ideia é um processo que leva tempo e experiência. Desse ponto em diante, nós transformamos tudo em um stage design, show design e começamos os preparativos para a hora do show.



img3 Electric Love, Áustria

STEREO MINDS - Quanto tempo leva da parte do design à construção do palco? Quantas pessoas estão envolvidas e como o trabalho é dividido?

DENNIS - Na maioria dos casos nós começamos um projeto quase 6 meses antes do show. Nesse tempo nós passamos pela conversa criativa até design final. Nosso time consiste de diretores criativos e de show, designers de palco e luz, designers gráficos de movimento e operadores ao vivo para luz, vídeo e áudio. Da nossa companhia, já trabalhamos com 10 pessoas em um projeto do início ao fim.

STEREO MINDS - A companhia esteve envolvida na maior edição do AMF. Quais stages foram criados por vocês?

DENNIS - Para esse ano criamos 7 stages em 3 locais diferentes. Para o AMF Arena, um show de 2 dias com os maiores DJs do mundo. O AMF Ziggo Dome, em que o Tiësto celebrou a edição #500 do Clublife e onde o show de rádio SLAM! fez seu evento. E o AMF Heineken Music Hall, em que começamos a semana com o DJ Mag TOP100, seguido do show do Hardwell e Axwell & Ingrosso e a after party oficial com AMF & Friends.



img4b Afrojack, AMF Arena (Créditos: RUDGR)

STEREO MINDS - De onde vem a inspiração?

DENNIS - Nossa inspiração pode vir de qualquer coisa. Pode ser a parte de um prédio a nível arquitetônico ou a capa de algum CD velho de música. Nós vemos possibilidades em tudo ao nosso redor e somos capazes de fazer essa transformação para o primeiro aspecto visual de um set design ou show. Nós temos a vontade de estar atualizados sobre os últimos avanços e procurar por inovações e criações em que podemos incorporar nossos designs para garantir que o que criamos faz jus às necessidades dos clientes e que seja.

STEREO MINDS - Quando se trata de diferentes estilos de música, como trance e hardstyle, há diferenças?

DENNIS - Claro. Assim como existem diferenças na música entre os gêneros. E isso é algo que levamos em consideração. O gênero musical pode ser uma forte influência na identidade da marca de um evento. O gênero vem com sua fã base forte e única e desse modo sempre requere uma abordagem única. Isso é algo que pode ser visto em gêneros que focam no gênero como um todo, como parte de sua identidade. Os designs, a atmosfera, a galera, todas as partes são criadas especificamente para aquele evento e não serão reutilizadas para um evento diferente porque pode ficar fora do lugar ou não irá combinar com a marca identidade do outro evento.



img5 Cosmic Meadow (EDC Las Vegas)

STEREO MINDS - Como a tecnologia continua a evoluir e o que podemos esperar para os festivais futuros?

DENNIS - Na 250K nós lutamos para sermos inovadores. Estamos sempre de olho em elementos que nunca foram usados ou de usados de modo específico. Então, para o futuro, espere por abordagens mais únicas e novas perspectivas em set design e mais colaborações com diferentes áreas. Um bom exemplo dessas colaborações são nosso recente trabalho para o Glow Festival Eindhoven e a performance de Armin van Buuren no Van Gogh Museum.

Raiane Reis ᕕ༼⌐■-■༽ᕗ

Autora // Estudante de Química, paulista caipira de 22 anos. Fala poRta e bolacha. Queria que o Orkut voltasse. Na barriga da mãe já DALE. Puxou o pai no vício da música eletrônica. Rainha é Beyoncé, rei é Justin Timberlake, lenda é Armin van Buuren. Ouve de tudo mas o coração é do trance e psytrance. Not afraid of 138 BPM e forever in a state of trance. Quer conhecer o mundo (24 ✓) e seus festivais de música.

Publicidade

Participe da conversa