ENTREVISTA: o carioca Art in Motion e toda sua finesse musical

A diva Fernanda Abreu recebeu recentemente uma releitura especial do carioca Art in Motion. A faixa escolhida para o trabalho foi Amor Geral, presente no último álbum da cantora que leva o mesmo nome. Ouça-a abaixo:

Vicente é um dos produtores mais talentosos da cena carioca e se mantém ativo no cenário nacional já há alguns anos. Mas agora parece ser a hora da virada para ele, que promete uma boa sequência de releases em 2017. Às vésperas do lançamento oficial do remix para Fernanda, encontramos Art in Motion para uma conversa animada sobre sua relação com ela, novidades para esse ano e planos para a sua gravadora, Plano B Records. Confira abaixo... mas antes, o play é obrigatório!



STEREO MINDS - Olá, Vicente! Como surgiu essa ideia de remixar a Fernanda Abreu? De que forma isso foi possível?

ART IN MOTION - Olá! Bom, a Fernanda me deu o meu primeiro instrumento musical em torno de uns 10 anos, um violão. Ela é melhor amiga da minha mãe e minha madrinha, e há muito tempo eu esperava a hora certa pra remixar uma música dela. Como eu pude acompanhar mais de perto o processo do último disco e ela me deu liberdade de escolher qualquer música, optei pela mensagem que a letra da faixa "Amor Geral" passa. Depois foquei no groove do baixo com a bateria, re-arranjei o vocal e consegui deixá-lo bem atual, mas de uma maneira simples e de acordo com a minha identidade.



STEREO MINDS - A maioria dos seus lançamentos em 2017 será pela Plano B Records ou tem algum outro selo na rota de seus releases?

ART IN MOTION - Por enquanto só tenho programado o meu release pela Plano B. No fim de maio agora, um remix do francês Melokolektiv. Estou com muitas faixas novas e no momento enviando demos para algumas labels com as quais possuo contato.



2

STEREO MINDS - Quem são os artistas brasileiros que você possui maior afinidade musical? Por que?

ART IN MOTION - Tirando o Gui Boratto — que pra mim é o produtor mais completo que nós temos — eu curto muito Sonic Future, L_cio, Vitor Munhoz, Stekke e Beep Dee. Apesar de produzirem estilos totalmente diferentes, são produtores que procuram sair da caixa, produzem som com alma, se importam com a música e com os timbres, puxam pra uma linha orgânica mascom alta qualidade e ainda conseguem contar bem suas histórias.



STEREO MINDS - O que o produtor Art in Motion tem de diferente do Art in Motion como DJ?

ART IN MOTION - Nos 2 lados eu tenho muita liberdade. Não gosto de me prender muito e sempre procuro me aprimorar. Comecei na produção e depois virei DJ. Sempre fui da pista de dança e pesquiso muito som diariamente. Como DJ eu gosto de misturar muito os estilos, toco deep house, tech house, techno... posso variar muito dependendo da festa, da hora, do ambiente. Trago todas as minhas influências pra tentar me conectar naquele presente momento com o público. Como produtor eu tento refinar a minha própria linha, misturar todas essas influencias com a minha personalidade pra tentar criar algo diferente.



art-in-motion-sm

STEREO MINDS - Como você avalia o atual momento da cena carioca? A chegada do D-EDGE e a presença constante de festas como ODD e Base tem feito a diferença na cidade?

ART IN MOTION - Está melhorando, mas a cena underground ainda é muito pequena pra proporção da nossa cidade. Aqui não temos clubs e os que tem não são muito valorizados, carioca não gosta muito de club e lugar fechado. Mas com certeza todas essas festas têm um papel fundamental e ajudam muito na evolução da nossa cena.



STEREO MINDS - 2017 tem sido um ano com a sua criatividade em alta?

ART IN MOTION - Com certeza o meu melhor ano no estúdio. Aprendi muitas coisas de 2 anos pra cá. O meu workflow mudou muito a partir do momento em que comecei a investir mais em equipamentos analógicos. Estou bem satisfeito e agora posso focar mais nos temas e aonde eu quero chegar. Tenho tracks novas bem fora dos padrões e outras focando mais na pista.



art-motion-1-

STEREO MINDS - Pra finalizar, antecipe alguma novidade quente que está por vir ainda esse ano. Muito obrigado pela entrevista!

ART IN MOTION - Tem muitas coisas legais acontecendo na minha carreira e na minha label, Plano B. O meu amadurecimento abriu muito os meus olhos para desenvolver uma curadoria mais cuidadosa e, com a entrada do meu novo sócio, o DJ Iagon, estamos investindo bastante na label esse ano. Possivelmente em breve começarei a tocar no formato live, pois é uma coisa que há muitos anos está na minha cabeça! Obrigado pela entrevista e foi um prazer!

Publicidade

Participe da conversa