O brazuca Nato Medrado assina um álbum pela ARMADA! Confira a conversa

Assinar com a label do Armada não é pra qualquer um. Pra muitas pessoas, fazer parte do selo do Armin van Buuren significa o topo da “pirâmide do reconhecimento”. Não é muito comum ter brasileiros por lá também, mas o DJ e produtor paulista Nato Medrado conseguiu. Abordado pelo próprio selo, Nato caminha para uma nova fase cheia de novidades, colhendo os frutos de quase uma década de trabalho.

Nato sempre fez um trabalho muito consistente, cheio de alma e sem render-se ao que o grande público espera de um som. Ele fez inclusive um dos melhores sets do nosso podcast Dopamine Sessions (ouça aqui), sempre destacando seu trabalho autoral, com faixas cuja sonoridade chegam no nível de “caminhar nas nuvens”, tanto em técnica como em criatividade.

O trabalho do Nato na Armada envolve até um álbum inteirinho que já está praticamente pronto! Com tantas notícias boas, não poderíamos deixar de falar com ele! Confira a entrevista logo abaixo.

nato medrado armada

STEREO MINDS - Você é um artista de influências que vai de pós-punk e synth pop até o mais comercial. Como o apreço de guitarras aparece em suas composições?

NATO MEDRADO - Muito de minha música se baseia no entrelaçamento da harmonia e melodia, e como a guitarra e o violão são meus instrumentos número um, é um processo quase que natural inseri-los entre os elementos mais eletrônicos. O interessante mesmo é a clara harmonia entre elementos orgânicos e eletrônicos em meu som.

STEREO MINDS - Você recentemente assinou um contrato de exclusividade com a Armada Music. O que você pode nos adiantar?

NATO MEDRADO - Esse contrato é fruto de uma negociação que vem sendo realizada desde abril. Estamos desenvolvendo um trabalho incrível, fiquei muito feliz em receber o primeiro contato partindo deles e o que posso adiantar é que teremos muitas surpresas, entre elas o lançamento do meu primeiro álbum pelo selo principal da Armada. Ainda não posso revelar data e nem o nome, mas os trabalhos estão bem adiantados, já finalizei todas as músicas e eles estão trabalhando na pós-produção do álbum.

O álbum terá mais de 10 faixas e iremos apresentar todo meu repertório e influências dentro da música eletrônica. Está sendo uma grande descoberta e até uma surpresa poder trabalhar com uma equipe tão qualificada e profissional, a surpresa vem porque meu som é um tanto quanto ‘cabeçudo’ mas isso só reforça o que já tinha certeza: de que é preciso investir na originalidade e acreditar que se o trabalho é bem feito, o reconhecimento aparecerá naturalmente.

STEREO MINDS - Houve muita diferença nos processos de composição das faixas?

NATO MEDRADO - Sem dúvidas. Eu sou viciado em música e estou beirando quase 300 composições. Esse novo trabalho vai passear por um caminho em que encontraremos as diversas formas que a música pode se apresentar segundo meu ponto de vista.

Algumas músicas não são essencialmente novas, o que não deixa de tornar esse álbum extremamente atual e exclusivo. Tive o cuidado de trabalhar quase que na exaustão todos os pequenos detalhes para que a experiência da audição do álbum possa ser feita em um grande club com a pista cheia ou em um momento de introspecção com um bom par de fones ou dentro do carro.

nato medrado

STEREO MINDS - Muito se falou nesse último ano sobre o polêmico "retorno do techno". Como você enxerga essa pegada de transformar a arte em business?

NATO MEDRADO - O Techno nunca se foi. Talvez a cena no Brasil ainda caminhe de forma um pouco generalista em que grande parte das festas são recheadas com artistas de um determinado estilo. Mas posso afirmar com absoluta certeza que existem nomes que trabalham para que a cena seja a mais diversificada possível. Existe espaço para o Techno, para o Deep, para o Tech-house, Progressive e EDM. Mas a bola da vez no Brasil é o Techno, veremos um "êxodo" de artistas de deep house partindo diretamente para essa nova tendência.

STEREO MINDS - Você se deixa levar sobre a pressão em fazer músicas mais acessíveis?

NATO MEDRADO - Absolutamente não.

STEREO MINDS - A música eletrônica hoje em dia está em uma fase brutal, onde os lives substituem os DJs SETs. Você vai continuar seguindo por esse caminho? O que você destaca em preferir essa técnica?

NATO MEDRADO - Não acredito nessa afirmação, a tecnologia abriu espaço para uma infinidade de modelos de apresentação, você pode se apresentar como live, com vinil ou pendrive, nada disso vai tirar de você sua técnica ou qualidade musical.

STEREO MINDS - Quais são os planos para esse resto de 2016 e início de 2017?

NATO MEDRADO - 2016 tem sido um ano realmente incrível. Tive lançamentos em gravadoras de diversas partes do mundo como Alemanha, Itália, Espanha e aqui no Brasil, recebi feedbacks de gigantes da música como Pete Pong, Joseph Capriati, Paco Osuna, Claude VonStroke e um feedback especial do Gui Boratto, além de reviews em diversas mídias e participações em radio shows na América do Sul e no resto do mundo.

Agora estou totalmente focado na promoção e lançamento do meu primeiro álbum, que provavelmente sai ainda em 2016 e após isso entrarei em turnê para divulgá-lo. Com o lançamento do álbum vem a possibilidade de inovar em minhas apresentações, a Armada, minha equipe e eu estamos trabalhando para tornar essa experiência incrível. 2017 promete e já estou preparando muita novidade por aí!



Colaboração: Rodrigo Airaf

Felipe Freitas ˁ˙͡˟˙ˀ

Colunista // São Paulo, 22. Formado em Rádio e TV, pesquisador e articulador da boa música, diretor de mídia social, A&R na Medrado Music e CEO na vida.

Publicidade

Participe da conversa