Cancelamento Tomorrowland Brasil: assista ao momento da confirmação de Luiz Klotz (ID&T)

Acaba de ser confirmado que realmente não haverá a edição do TML no Brasil em 2017. O diretor da Plus Talent e ID&T Brasil, Luiz Eurico Klotz, afirmou o cancelamento do festival em palestra realizada na Unifor. E para aqueles que esperavam pelo cenário do Melodia (edição belga de 2015), também pode tirar o cavalinho da chuva porque segundo os organizadores este palco é “impossível de ser transportado para o Brasil”. A Tomorrowland Brasil não se despede do nosso país, entretanto. Pode ser o caso de estarem "pulando” o ano devido às condições econômicas brasileiras.

Já não é de hoje que a cena eletrônica brasileira está apreensiva com a Tomorrowland 2017. Desde o último show realizado no Parque Maeda em Itu-SP, neste ano, quando não surgiram as datas da próxima edição como de costume para os brasileiros. Todos já imaginavam que devido às respostas evasivas e saídas pela tangente dos patrocinadores do evento nas redes sociais eram um indício de más notícias, mas como “brasileiro não desiste nunca”, sempre restou uma faísca de esperança em meio a tantas dúvidas.

O que podemos dizer é que não é bem uma surpresa. A edição de 2016 já foi bem aquém do esperado com relação à de 2015 e ficou evidente que a produção da festa já estava “economizando” para evitar o prejuízo. O lineup foi o mais atingido nesse corte de investimentos, o que causou, à época, um descontentamento no público, que pensou que a franquia iria manter o mesmo padrão em todas as edições.

Segundo o diretor Luiz Eurico, o evento brasileiro é ruim para os cofres da produção e os principais motivos para a decisão são puramente financeiros. “Se vendêssemos o mesmo número de ingressos que a gente vendeu esse ano, com o custo Brasil e com a inflação, nós não teríamos o mesmo nível de receita. Então o desastre financeiro seria eminente. A captação de patrocínio também é bem abaixo da realidade atual”, disse.

Outros motivos apontados por ele como fatores de consideração no cancelamento da edição 2017 envolvem o consumo do público dentro do evento. As pessoas passaram a consumir menos nas dependências do festival, reduzindo muito a capacidade de receita do evento.

Relembre a edição de 2015

Relembre a edição de 2016

Assista abaixo ao trecho do sofrimento. Os créditos são de Marcos Luan, que fez um live streaming do seu telefone. Para ver a palestra inteira gravada por ele, clique aqui.

Publicidade

Participe da conversa